Macapá/AP

Macapá a capital do Amapá fica localizada a 345 km de Belém do Pará. O nome é de origem tupi, com uma variação de macapaba, que quer dizer lugar de muitas bacabas, um fruto de palmeira nativa da região. Antes de chamar-se Macapá, o primeiro nome dado oficialmente a essa terra foi Adelantado de Nueva Andaluzia, em 1544, por Carlos V, então rei da Espanha, numa concessão a Francisco Orellana navegador espanhol que esteve por aqui.

O acesso mais rápido a cidade é através de avião, com o tempo de 40 minutos de vôo. A outra opção é chegar de navio, são 24 horas de viagem. Não existem rodovias ligando Macapá a outros estados brasileiros. Chegando a Macapá você vai encontrar um ambiente sem poluição, uma cidade de pequeno porte, uma população acolhedora, e uma rica paisagem natural proporcionada pelo rio amazonas, o maior do mundo, e ainda um comércio crescente. A história de Macapá começa nos tempos coloniais, e está relacionada com a defesa e a fortificação das fronteiras do Brasil, além da preocupação em garantir a presença do homem as terras brasileiras. E assim esta cidade se originou de um destacamento militar criado em 1738. Na Praça Veiga Cabral, no dia 4 de fevereiro de 1758 quando ela ainda se chamava Praça São Sebastião acontecia exatamente nessa praça o levantamento do pelourinho e o governador do Grão Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, fundava naquele dia a Vila de São José de Macapá. Nessa época foram surgindo prédios que até hoje são preservados, e constituem verdadeiro patrimônio cultural como:

A Fortaleza de São José de Macapá uma construção feita nos tempos escravos com mão de obra de negros e índios. No dia 2 de janeiro de 1764 começou o delineamento do solo e no dia 29 de junho do mesmo ano foi lançada a pedra fundamental do monumento. A construção durou 18 anos, mas essa demora não foi pelo tamanho da obra e sim pelos problemas que surgiram com a falta de mão de obra e a escassez de material que de vez em quando fazia parar tudo. Os índios eram perseguidos pelas doenças e oprimidos pelo rigor da disciplina militar, e este era o grande motivo de fuga do engenho. Os negros quando fugiam não iam longe deixavam-se prender facilmente. O falecimento de D. José I, fez com que a obra parasse quase 6 anos. O autor do projeto Henrique Galúcio, faleceu 5 anos após o início das obras.

A Intendência de Macapá, hoje em dia, é o museu histórico Joaquim Caetano da Silva. A data de inauguração deste prédio é de 15 de novembro de 1895. O intendente era Coriolano Jucá. O Prédio foi utilizado desde o período de Vila até o extinto Território Federal do Amapá, e o mesmo foi construído tipo palácio no estilo neoclássico, ornado com esculturas e figuras antropomorfas que representam as artes e a indústria. As pilhas louvres e vasos foram confeccionados na arte da falanza em Portugal em 1932. Foi restaurado para funcionar a prefeitura de Macapá tendo como interventor do estado do Pará o major Magalhães Barata e como prefeito também o major Eliezer Levi.

O Prédio teve duas divisões - de um lado a Prefeitura de Macapá e do outro a Divisão de Obras Públicas. O tempo foi passando e vieram mais reformas as características arquitetônicas originais foram se perdendo. Lá já funcionou o Palácio do Governo, Secretaria de Segurança, Procuradoria Geral do Governo e hoje é o Museu Histórico Joaquim Caetano da Silva. A Igreja de São José de Macapá também é um marco histórico. Esta igreja começou a ser construída em 1752, seis anos antes da criação oficial da Vila de São José de Macapá.

A igreja matriz foi inaugurada 5 de março de 1761 sendo o Padre Joaquim Pair o 1º vigário, a imagem original do padroeiro São José, esculpido em madeira tem 35 cm de altura, permanece como uma das relíquias sacras mais importantes do estado. Nas paredes os quadros do padre Fúlvio, retratam o talento artístico e a beleza de uma passagem bíblica. Já houve um período em que a paróquia ficou sem vigário durante 40 anos. Em 1904 o padre Francisco Hiller e o intendente coronel Teodoro Mendes foram os responsáveis pela restauração da igreja. A primeira escola em alvenaria de Macapá foi inaugurada em 13 de setembro de 1946, que é a Escola de 1º Grau Barão do Rio Branco, criada pelo governo do Território Federal do Amapá na gestão do capitão Janarv Nunes. Nesta escola também funcionou o 1º cinema de Macapá, o Ex cine Territorial. As máquinas pararam e tudo esta no mais completo abandono. Outros prédios como o mercado central, o hospital de especialidades e a maternidade Mãe Luzia também fazem parte de antigas construções das décadas de 40, 50 e 60.

O Trapiche Eliezer Levi por muito tempo foi o ponto de chegada e saída da cidade. Inspirou poetas como Alcir Araújo que foi chamado de poeta do cais. Antes do trapiche as embarcações aportavam na chamada Pedra do Guindaste, onde hoje está colocada a. imagem de São José, o nome do trapiche é uma homenagem ao então prefeito Eliezer Levi que recebeu recursos do interventor do Pará, Magalhães Barata para aquela construção. Na última reforma o trapiche recebeu uma estrutura de concreto, onde vai funcionar um restaurante e ter bondinho para transportar os frequentadores. As embarcações vão aportar em outro lugar. O Trapiche Eliezer Levi com 472 metros de comprimento é uma das atrações turísticas da cidade.

Macapá é a única cidade brasileira que está á margem esquerda do rio Amazonas, e que é cortada pela linha do Equador. Com altitude de 15 metros em relação ao nível do mar e latitude zero, possuí uma área de 24.750 km2. O clima é equatorial, quente e úmido. Após 45 anos de Território Federal com sustentação financeira da União o crescimento desta cidade ficou acelerado com a transformação do território para estado em 1988.

Tudo foi mudando rapidamente e a pequena cidade foi ganhando cara e status de capital estadual. Prédios com arquitetura mais moderna foram aparecendo como o Teatro das Bacabeiras, Tribunal de Contas do Estado, Assembléia Legislativa, Tribunal de Justiça, Tribunal Regional Eleitoral, Secretarias Estaduais, Shopping Center e outros prédios construídos rapidamente. Vieram novas empresas, bancos, e o número populacional foi subindo degraus com grande velocidade.

2ª parte: MACAPÁ NA ERA DO DESENVOLVIMENTO:

Quem vem à Macapá não deixa de desfrutar do que há de melhor na cidade em termos de iguarias e pontos turísticos. A orla esta cheia de barzinhos e restaurantes; onde os frequentadores gostam de ver a paisagem do maior rio do planeta; o rio Amazonas. Este mesmo rio que proporciona duas praias; uma fica na região urbana que é a do Araxá e a outra fica alguns quilômetros do centro da cidade e é chamada praia de Fazendinha. Nestes balneários é possível encontrar o camarão rosa ou deliciar o saboroso tucunaré na brasa. Durante o mês de julho acontece o Macapá Verão, programação desenvolvida pelo governo do estado e prefeitura, uma mistura de ritmos, gente bonita, sol e muita alegria.

Neste período uma programação é desenvolvida com cantores regionais e muito lazer em vários pontos da cidade.

Macapá é a única capital no Brasil, cortada pela linha imaginária do Equador. No Estádio Zerão, uma particularidade: num jogo de futebol os jogadores trocam de hemisfério o tempo todo, a linha do meio do campo também divide o mundo.

No monumento Marco Zero do Equador, você também pode fazer isso, de um lado o Hemisfério Norte, do outro o Hemisfério Sul. Nunca foi tão fácil mudar de hemisfério no Brasil.

Aqui é um ótimo lugar para ver o fenômeno do Equinócio, a passagem do sol sobre a linha do Equador. Isto acontece nos dias 21 de março e 23 de seterrrbro, quando as noites e os dias duram exatamente 12 horas em qualquer lugar do planeta. O Equinócio marca o início de diferentes estações nos dois hemisférios do planeta. No Sul é primavera e no outro lado ao Norte começa o outono.

Em fevereiro tem carnaval e é a hora do sambódromo que também é escola e possui 20 salas de aula com capacidade total para 1200 alunos. Macapá é a 4ª cidade brasileira a possuir um local para o carnaval. As escolas de samba do lº e 2º grupo fazem a festa em 2 dias, e no 3º é o dia dos blocos de rua. Personalidades do mundo do carnaval estão sempre presentes nos desfiles.

No meio da Amazônia com tantas riquezas vegetais, o governo do Amapá acabou criando o museu de plantas medicinais Valdomiro Gomes, que hoje se transformou no museu do desenvolvimento sustentável. O museu mostra os trabalhos de pesquisas realizados pelo IEPA - Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas, voltadas para os objetivos do programa de desenvolvimento sustentável do Governo do Estado do Amapá. Localizada a 12 km de Macapá, a Vila do Curiaú é outro ponto marcante da cidade. Formada por negros que fugiam dos maus tratos durante a construção da Fortaleza de São José, eles iam abrindo caminho rumo norte da cidade e o quilombo de ontem se transformou na vila de hoje. A localidade ainda guarda vários aspectos dos seus antepassados.

O estilo rústico de construção das moradias e a presença da cor negra de seus moradores, que não permitem casa de estranhos no local. A sobrevivência ainda é baseada na cultura de subsistência; plantação de mandioca, feijão, criação de animais como suínos e aves para a alimentação. A população se une na veneração de santos da igreja católica, festejados com manifestações folclóricas como a dança do marabaixo e o batuque.

No período entre a seca e a chuva os lagos ficam rasos e os moradores aproveitam para pescar com mais intensidade.

O misticismo e as tradições são fortes características da Vila do Curiaú.

A vocação maior de Macapá é o comércio. Com localização privilegiada em relação a sua posição geográfica, tem grandes possibilidades de relações comerciais com a América Central, América do Norte e a Europa. A criação da Zona de Livre Comércio de Macapá, aconteceu em dezembro de 1991 e isto possibilitou a abertura de várias oportunidades e perspectivas de negócios para a economia do estado. Estas oportunidades estão relacionadas com diversos setores econômicos, como: indústria, comércio, serviços e turismo.

Estão acontecendo investimentos de outros estados brasileiros e de capital estrangeiro e ainda existe um grande mercado de trabalho a ser explorado.

Mas a notícia da criação dessa área comercial trouxe alguns problemas para Macapá. É o caso do crescimento populacional. Recursos naturais e turísticos singulares podem fazer de Macapá, o portão norte de ligação do Brasil com o resto do mundo. Com a implantação da área de livre comércio a atividade importadora passou a fazer parte das operações comerciais do empresariado, e o comércio convencional foi cedendo espaço para o comércio de importados. As principais lojas localizam-se na rua Cândido Mendes e nas suas adjacências outras lojas também estão se instalando. A oferta de importados já apresenta considerável variação de rádios gravadores, walkmans, televisões, relógios, aparelhos de som, brinquedos eletrônicos, artigos esportivos, bicicletas, pratarias, perfumes e cosméticos.

Em termos de serviços Macapá, apresenta condições satisfatórias para receber os visitantes.

Possui uma rede hoteleira com diversas opções de hospedagem, restaurantes para gostos variados cardápios de comidas típicas, e até pratos internacionais. Os benefícios fiscais definidos por lei, asseguram a entrada de mercadorias na área de livre comércio, com suspensão no imposto de importação e imposto sobre produtos industrializados. A abrangência da área de livre comércio atinge parte dos municípios de Macapá e Santana. Em uma área de 220 km2 os locais de descargas e desembaraços de mercadorias de origem estrangeira, da Zona Franca de Manaus e outras áreas de livre comércio, são o porto de Santana, o aeroporto internacional de Macapá e o porto privativo da ICOMI.

Em cada local uma alfândega fiscaliza a bagagem de passageiros saindo das áreas de livre comércio. No que se refere a produtos estrangeiros será desembaraçada, com a isenção de tributos e valor global de até 2 mil dólares por casal.

A frente da cidade ganhou novo aspecto com a construção do complexo Beira Rio. São quiosques com música ao vivo, apresentada por cantores regionais, que cantam o melhor da MPB, além de palanque para shows às margens do rio Amazonas.

Na Beira Rio, você vai encontrar um cardápio bem variado, com vários tipos de bebidas. Lá os amigos e família se encontram e a conversa rola solta até alta hora.

Macapá é antes de tudo alegria, tranquilidade e muito trabalho para quem quer progredir e contribuir com o desenvolvimento da cidade.

Uma cidade no meio do mundo gerando progresso para o Brasil e esperando por sua visita.


Fonte: Prefeitura de Macapá/AP

Flag Counter