João Pessoa/PB

Muito forró, farra e praias paradisíacas capazes de conquistar até o Edmundo

É tudo Paraíba: piscinas de corais, praias paradisíacas, lugar onde o sol nasce primeiro, cidade mais verde do país. O jogador Edmundo, que chamou um juiz de \"paraíba\" por discordar de uma expulsão, certamente adoraria passar temporada em João Pessoa. Farrista como é, adoraria dançar o autêntico forró nordestino. \"O negócio aqui é ralar o bucho, limpar a fivela e bater as coxas\".

Com área de 56 mil km2 e 3,3 milhões de habitantes, a Paraíba (do tupi \"braço de mar\") fica no ponto extremo oriental do Brasil. A Ponta dos Seixas é o lugar do continente americano mais perto da Europa e da África. É onde o sol nasce primeiro. Ao visitante do mirante, onde há lojinhas de artesanato,é oferecido diploma de presença. Para fotos, o marco zero da Rodovia Transamazônica, que rasga o Brasil até o Acre, é dos preferidos pelos turistas.

Para quem gosta de praia, nada como as piscinas naturais de Picãozinho, formadas por barreiras de corais. Na maré baixa, as jangadas se transformam em bares. A Ilha de Areia Vermelha, banco de areia a 200 metros da praia de Camboinha, e a praia de nudismo de Tambaba são passeios imperdíveis.

Mas João Pessoa não é só praia. Tem o título de segunda cidade mais arborizada do mundo, conferido por técnicos das Nações Unidas durante a Eco 92. O cálculo foi baseado no número de habitantes por área verde. Paris levou o caneco. Ah, se o juiz fosse da Paraíba...

Terceira cidade mais antiga do Brasil, João Pessoa já teve quatro nomes. Foi fundada em 1585 como Nossa Senhora das Neves, após a vitória dos portugueses contra os potiguares. Em 1588, virou Filipéia, homenagem a Filipe de Castela. Conquistada em 1634 pelos holandeses, passou a ser Frederica, alusão a Frederico, príncipe de Orange. De volta ao domínio português em 1654, virou Paraíba. Com o assassinato de João Pessoa, candidato a vice-presidente na chapa de Getúlio Vargas e presidente do Estado, em 1930, a cidade recebeu o nome atual. O crime desencadeou a Revolução de 30.

Fonte: Jornal O Dia, de 21/09/1997

Flag Counter