Pará

O Pará é exuberante por natureza. Se de um lado é banhado pelo Atlântico, por todos os lados correm rios caudalosos e igarapés de água geladinha.
Na Zona do Salgado encontramos belas praias oceânicas, como as de Salinas, Marudá e Algodoal. Ou ainda Ajuruteua, em Bragança. Todas elas têm acesso fácil, graças a um sistema de rodovias de boa qualidade.
A riqueza cultural nessa região chama a atenção. Em Marapanim soam forte as batidas do carimbó, dança folclórica típica do Pará. Em Bragança, no mês de dezembro tem Marujada, a dança de origem negra, onde as mulheres é que mandam. Em São Caetano de Odivelas o Boi Tinga pede passagem todo mês de junho.
Na Costa Atlântica paraense as belas praias e o folclore compõem um cenário único, que só a Amazônia possui.
Na foz do Rio Amazonas encontramos o maior arquipélago flúvio-marítimo do mundo. Com quase 50 mil quilômetros quadrados, o Marajó abriga 12 municípios e é maior que vários países europeus. É um dos mais importantes santuários ecológicos do planeta e um pólo turístico de alternativas inesgotáveis.
A exuberância da paisagem é formada por florestas, campinas, gramados, praias de rio, lagos de todos os tamanhos, furos e igarapés. Pássaros raros como o guará, jacarés, peixes e muitos outros compõem a fauna marajoara, formando um espetáculo de sons e cores imperdíveis.
A principal atividade econômica do Marajó é a criação de búfalos. Mas o artesanato também merece destaque. A preocupação com a preservação da cultura marajoara é flagrante na reprodução de peças de excepcional beleza.
A culinária também é um ponto forte, especialmente por causa da variedade de peixes deliciosos. Quando se vem ao Pará é impossível resistir a um passeio pelo Arquipélago do Marajó.

Fonte: Companhia Paraense de Turismo

Colabore com nosso site, enviando matérias ou fotos.

Flag Counter