Rondônia

Rondônia, enquanto Estado, tem apenas 20 anos de existência. O ex-território passou à nova condição só em 1981. Com uma população formada em grande parte por imigrantes de vários locais do Brasil e da Bolívia, Rondônia tem um povo que parece ter aprendido com Rondon a ter coragem para desbravar as matas rumo ao progresso. Na capital, Porto Velho, por exemplo, cerca de 80% da população tem sua origem em processos migratórios, geralmente de Estados da Região Nordeste e Sul do Brasil.

Via de regra, aquela população chegou ao ex-território motivada pelo sonho de plantar na nova terra a esperança de uma nova vida, longe da pobreza. Sonho este incentivado por propagandas oficiais do Governo Federal que objetivava povoar a região a qualquer custo.

A mistura de culturas acabou gerando a mistura de sabores, referências históricas e costumes que passou a permear a vida e o cotidiano do povo rondoniense, alegre e hospitaleiro que em cada visitante reconhece um pouco de si próprio.

Assim se construiu Rondônia que, do Forte Príncipe às 3 Marias, do Guaporé ao Madeira, exibe ao mundo seu grande potencial para o desenvolvimento do Turismo.

Os Pólos de Ecoturismo em Rondônia são ricos em atrativos naturais e histórico culturais apresentam exuberantes florestas tropicais, cerrados, campos naturais, com alto valor ecológico, alta biodiversidade, espécies únicas, raras ou endêmicas; serras e planícies; rios com corredeiras, cachoeiras, lagos, monumentos históricos da ocupação da Amazônia, povos da floresta e sua cultura.

Localizam-se ao longo e nas áreas de abrangência dos Rios Guaporé, Mamoré, Madeira e parte do Rio Machado, onde estão localizadas a maioria das unidades de conservação e terras indígenas formando um sistema de áreas protegidas com amostras de ecossistemas Amazônico, Cerrado e Pantanal do Guaporé, representando um dos pilares de sustentabilidade da atividade ecoturística no Estado.

Proporcionando condições ao desenvolvimento de inúmeras atividades ecoturisticas tais como: Observação da flora, fauna, bird watching em trilhas, passeios de barco ou com a utilização de mirantes, sáfari fotográfico, pesca esportiva, canoagem ou rafting, bóia cross ou Acquaraid, mergulho livre ou snorkeling, mergulho autônomo ou scuba diving, ciclismo ou biking, cavalgada ou equitação, Caminhada com pernoite ou trekking – montanhismo, escalada em rocha ou rock climbing, balonismo, vôo livre, paraquedismo e paraglyder, acampamentos ou camping, visitas a sítios arqueológicos, visitas às comunidades tradicionais.

Fontes: Superintendência de Turismo de Rondônia - SETUR-RO



Flag Counter