Roraima

Quem pensa na Região Norte apenas pelos dois maiores estados, o Amazonas e o Pará, se surpreenderá ao visitar Roraima.

A "mãe dos ventos", um dos significados do nome, tem características próprias e ainda as delícias que integram a Amazônia.

Os primeiros colonizadores portugueses chegaram por lá no século XVII, subindo o Rio Branco. Construíram o Forte de São Joaquim, para garantir a posse, e iniciaram o povoamento.

Rico em minério, fauna e flora, Roraima tem grande parte de seu território destinado a nações indígenas.

Os Yanomami ficam com a maior parte, mas há 31 nações que ocupam quase a metada de Roraima, como os Wai-wai, Maiongong, Macuxi, Ingaricó, Wapixana, Waimiri-atroari e Taurepang.

Isto faz com que tudo tenha um dedinho dos índios. A cerâmica macuxi, os trabalhos em madeira, palha e esculturas em pedra sabão. Na culinária, os macuxis também estão presentes com amugica e a mixira.

Nas águas do Rio Branco, que cortam o estado de sul a norte, principalmente no verão, formam-se dezenas de praias, onde bares são montados para atender os turistas - a maioria da capital.

A capital, Boa Vista, possui boa infra-estrutura para receber turistas. Mas quem quer realmente aproveitar tudo o que oferece, deve esquecer-se dos luxos - a troca compensa.

Ao sul, está a Floresta Amazônica e o encontro com o Rio Negro - que mais à frente vai formar o Amazonas ao encontrar-se com o Solimões.

No norte, também encoberto pelas matas úmidas, o relevo muda, com as serras que traçam as fronteiras com a Venezuela e a República Cooperativista da Guiana.

Pela altitude, o clima é mais ameno e há diversas cachoeiras.

Na região central do Estado, pouco abaixo da capital, estão as terras planas e savanas, com palmeiras e buritizais.

Com cenário que mais se aproxima das versões romanceadas sobre a floresta, Roraima tem ainda manadas de cavalos selvagens - os últimos - que galopam nas pastagens nativas do nordeste, perto da Serra do Maruai.
Entre as atrações turísticas, Roraima revela delícias presenteadas pela natureza. São montes, cachoeiras, estações ecológicas, corredeiras, vales, fazendas, parques, sítios arqueológicos, ilhas, lagos, praias. Enfim, uma viagem de encantos, onde o mais tranqüilo viajante ou um aventureiro pode pisar em locais desconhecidos e inexplorados, passando por caminhos atraentes, para se surpreender e nunca mais esquecer de um dos territórios mais exóticos e bonitos do planeta!

Fonte: EMBRATUR



Flag Counter